sexta-feira, abril 01, 2011

10 INDÍCIOS DE QUE VOCÊ É UM PSEUDONERD



Baseados nuns tipos reais que andei trombando por aí.

  1. Você só decidiu virar nerd porque percebeu (ou mais provavelmente, alguém te falou) que “hoje em dia ser nerd é legal, pega bem e dá status”.
  2. Pra você, ser nerd é basicamente uma questão de visual, bastando usar óculos estilosos (mesmo não sendo míope), se fantasiar em encontros temáticos ou ter uma das camisetas do Sheldon do Big Bang Theory pra ser considerado um nerd.
  3. Se diz fã de ficção científica, mas não faz a menor idéia de quem sejam Isaac Asimov, Arthur C. Clarke, Ursula K. Le Guin ou Ray Bradbury.
  4. Você odeia Watchmen por não conseguir entendê-lo. E não tem a menor vontade de entender. Na verdade, você não tem a mínima vontade de entender nada. Estudar qualquer coisa, pra você, é um martírio.
  5. Você adorou os Batmen de Joel Schumacher, Superman Returns e as adaptações cinematográficas de Elektra e Catwoman.
  6. Acha que Avatar merecia levar o Oscar de Melhor Filme.
  7. Seus escritores favoritos são Dan Brown e Paulo Coelho.
  8. Na sua vida amorosa, nerds são justamente o tipo de pessoa que não te desperta o menor interesse.
  9. Compra quilos de produtos em eventos ou lojas do gênero (especialmente se estiver na companhia de verdadeiros nerds) sem nunca fazer uso dos mesmos – livros e revistas, por exemplo, dificilmente serão lidos.
  10. Tem verdadeiro pavor de parecer nerd fora dos encontros e eventos.


16 comentários:

* Andhora Silveira * disse...

Eu adorei esse post... Tem tanto tipo assim nesse mundo. Estão querendo mesmo distorcer o que é ser nerd =/

* Andhora Silveira * disse...

A propósito, indiquei sua postagem no meu blog e coloquei link. Espero que não se importe :)

Clinton Davisson disse...

Caraca, me veio na cabeça pelo menos 5 pessoas na hora...rs
Lembrei tb de um cara todo feliz numa locadora, mostrando que comprou celular de Star Wars (isso foi em 2003) e o cara se intitulando como O FÃ.
Aí falei sobre o Jedicon e ele me olhou como se eu dissesse que abria túmulos a noite para me alimentar dos pedaços da vó dele...rs

Bondgirlpatthy 007 disse...

Digamos q segundo sua visão ser nerd é ser bitolado. Não deixa de ter certa razão. Eu já vejo de outra maneira. O nerd pode levar uma vida "normal" e tirar algumas horas p/ se divertir à vontade (eventos) mas principalmente não se envergonhar pelo seu gosto. Tb deve comprar produtos q vá usar de verdade e não um montão de coisas p/ ficar encostado (aplica - se à livros). P/ mim ser nerd é isso e quer saber? À minha maneira, me orgulho mto de ser. Tenho mto orgulho de ser uma nerd fã de James Bond e viver minha vida de "normal" feliz sem q essa preferência interfira. Bjs.

Atilassauro disse...

Pois é, Andhora. Hoje virou moda parecer nerd. E claro que não me importo com o link. Gosto muito do seu blog, que por sinal é pura nerdice. :)Pra mim é uma honra.

Atilassauro disse...

Seja bm vindo, Clinton. Seu depoimento é dos mais ilustrativos.

Atilassauro disse...

Não, querida Patthy, ser nerd não é ser "bitolado". Sabemos que hoje a imensa maioria dos verdadeiros nerds tem vida social, sendo muitos inclusive apreciadores de coisas como futebol, baladas e afins. O problema é que tem muita gente por aí se dizendo nerd, mas que mal conhecem as coisas que dizem "curtir". E pior ainda são aqueles que se dizem nerds, mas evitam ao máximo revelar aos "não nerds" essa sua característica, pois a consideram "queimação de filme" (sim, esses tipos existem). Nerd não é visual ou bitolação. É um estilo de vida. E mais ainda, vivê-lo com naturalidade, sem vergonha nem afetações.

Bondgirlpatthy 007 disse...

Ah então meu amigo, eu sou "nerd" mesmo uhu! Pq além de amar 007 e conhecer sobre ele, tb amo o Corinthians e conheço de cór boa parte da história de seus 100 anos e p/ completar, não tenho o esteriótipo visual e minhas preferências jamais foram escondidas e nunca interferiram na minha vida "normal". Bjs dessa amiga nerd q te adora

Renato A. Azevedo disse...

Grande Atila!
Excelente post! Vale o alerta, "nerd, só confie no original", hehehehe. Abração!

Camila Fernandes disse...

"Você adorou os Batmen de Joel Schumacher, Superman Returns e as adaptações cinematográficas de Elektra e Catwoman."

MEDO! XD

Atilassauro disse...

Sim, Patthy. Pode orgulhar-se de ser uma verdadeira nerd. E cada dia mais percebo que nerds estereotipados são uma espécie quase extinta, felizmente.

Atilassauro disse...

E bota medo nisso, Mila. :D

Atilassauro disse...

Falou tudo, Renato. Abração.

Camila Fernandes disse...

Átila, acho que não conheço ninguém assim. Ao menos, não que eu tenha notado.

Para mim, você está falando de alguém que tenta ao máximo pertencer a alguma tribo, QUALQUER QUE SEJA ELA, desde que seja "a do momento". Se estiver com nerds, fará de conta que é nerd. Se estiver com comitiva de festa country (eca!), fingirá que é um conhecedor de som country. Com os metaleiros, usará camisetas de banda. E por aí vai...

É só alguém sem identidade, procurando desesperadamente "sua turma". Sinceramente, a mim não incomoda. No máximo, dá peninha, rs.

Acho que hoje leva-se muito a sério o "ser nerd". Alguns dos meus gostos me denunciam, outros são "atípicos" dessa "categoria", se é que podemos chamar assim. Típica ou não, considero-me uma nerd. Minha irmã me chama de nerd (carinhosamente?) desde a adolescência e meu marido me apelidou de... Sheldolina. XD

Mas perto de algumas pessoas que conheço, geniais e incrivelmente bem informadas, não passo de uma amadora. Sob certos parâmetros, pode-se dizer que não sou uma nerd "autêntica". Mas, sinceramente? Tô nem aí. Eu sou EU. Os rótulos - ou a ausência deles - não mudam isso. ;-)

Atilassauro disse...

"Sheldolina" foi ótimo, Mila. XD
E você captou muito bem a mensagem. É realmente essa questão de querer pertencer a um grupo, sem vivenciá-lo realmente. E lembrando que eu também sou contra rótulos. Mas da mesma maneira sou contra gente sem identidade.

ritinha disse...

Oi Átila. Muito bom o post!
Sorri por aqui sozinha, lembrando das figurinhas que conheço e que sofrem querendo se encaixar em um grupo.
Eu particularmente, passei uma boa parte da adolescência mergulhada no mundo de Asimov,Bradbury e Sir Artur Clarke, ao mesmo tempo em que não perdia uma noitada nas 'discos' com os 'darks' da decada de 1980!
Hoje em dia seria chamada de hibrida? rsrs
Como você sou contra rótulos e amo a diversidade dos tijolinhos com os quais contrui minha identidade!
Um forte abraço!

BlogBlogs.Com.Br