terça-feira, abril 05, 2011

SEREIAS

Aviso aos que ainda não assistiram: Contém Spoilers

Depois dos dragões foi a vez das sereias. Mês passado, o canal Animal Planet apresentou um novo e interessante exercício de imaginação sob a forma de documentário ("mockumentary", no jargão cinetelevisivo). Desta vez o exercício consistia em mostrar como seriam as sereias se elas realmente existissem. Inspirado no mistério envolvendo um curioso tipo de som provindo dos oceanos (apelidado de “bloop”) e partindo de uma suposta validade da hipótese do macaco aquático (que como o próprio nome deixa bem claro, nem chega a constituir uma teoria do ponto de vista científico, pela carência de evidências), é mostrado que animais desse tipo poderiam evoluir para primatas totalmente adaptados ao ambiente marinho, à semelhança do que ocorreu milhões de anos antes com outros grupos de mamíferos, como o que deu origem as baleias (ver meu texto O Urso Nadador de Charles Darwin). Prometo abordar a hipótese do macaco aquático num post futuro, pois a mesma não deixa de ser interessante.
Até por serem criaturas bem menos fantásticas e poderosas, as sereias em questão ficaram muito mais verossímeis que os colossais dragões, apresentados no primeiro “documentário” do gênero, em 2004. As explicações “científicas” para o seu surgimento, evolução e hábitos são totalmente coerentes do ponto de vista biológico – a nadadeira caudal, por exemplo, teria se desenvolvido de forma muito semelhante ao que ocorreu no grupo de mamíferos aquáticos denominados sirênios (acertou quem concluiu que o nome origina-se justamente da palavra siren = “sereia”), a qual pertence o nosso peixe boi. Esses seres seriam perfeitamente possíveis se o referido macaco aquático (lembrando que não há qualquer indício da sua existência, o que o torna também uma espécie fictícia, portanto) tomasse tal rumo evolutivo. A própria abordagem ficou mais lúcida e menos forçada – confesso que ainda tenho dificuldades em aceitar aquela desculpa para explicar como animais de anatomia tão solidamente quadrúpede e pesada como os dragões dos mitos ocidentais poderiam voar. E não, não dá pra comparar com os pterossauros, cuja anatomia responsável pelo voo é completamente diferente. Lembro-me de, na época do episódio dos dragões, tomar conhecimento de pessoas de todas as idades que começaram a acreditar que essas criaturas realmente teriam existido, em virtude do programa. Entretanto, mesmo com toda a melhora, a maneira realista com que tudo ainda é montado torna difícil para os mais desavisados distinguir o que é real da pura ficção. Enquanto escrevo este post, já li vários comentários e textos na internet de gente achando que as tais sereias são reais, chegando a invocar conspirações (parece que algumas pessoas teem verdadeiro fetiche por elas) para justificar suas crenças. Esse seria talvez o único ponto negativo da série. Um aviso no início do mockumentary explicando que tudo aquilo é fictício só ajudaria. Do jeito que está, fica parecendo uma das obras de Dan Brown.
Cabe ressaltar aqui que o mockumentary caracteriza também uma denúncia. E nesse ponto eles acertaram na mosca. Não é preciso ser nenhum gênio ou especialista em mensagem subliminar para notar que ali se encontra uma maneira de mostrar (aliada a uma ficção que inteligentemente não atrapalha tal avaliação) os danos causados à vida marinha por certos tipos de testes envolvendo a tecnologia utilizada nos sonares (representado logo no início pelas baleias encalhadas). No programa, as sereias teriam participação nisso – uma bela ilustração da tendência humana de culpar outros por suas mazelas. Independente da origem do “bloop” continuar um mistério, não há como negar essa realidade. A meu ver, uma ótima sacada.
Além de refletir uma criatividade primorosa, a série é uma ótima ferramenta para dar uma idéia aos leigos de como a ciência funciona, fazendo o público pensar – algo cada vez mais raro hoje, mesmo na TV paga. Sem falar na já mencionada denúncia presente neste em especial. Para quem ainda não viu, seguem abaixo os vídeos da versão em português do programa. Praqueles que preferirem, no próprio Youtube há versões em espanhol, bem como o original em inglês (ambos, até o presente momento, sem legendas).











3 comentários:

Renato A. Azevedo disse...

Amigo, esse programa das sereias foi bem legal! E sim, também já soube que tem pessoas acreditando que o anterior, Dragões: Uma Ficção que se Torna Realidade, mostra fatos concretos, hehehehehe. Uma pena, pois seria legal ver um dragão daqueles!
Ou essas sereias.
Quanto a conspirações, o fato de você não ser paranóico não significa que eles não estejam nos ouvindo, ou lendo!
Hehehehehe, abração!

Atilassauro disse...

Valeu pelo comentário, Renato.
Qaunto às conspirações, eu me refiro ao fato delas serem uma tática muito cômoda e conveniente para aqueles que carecem de argumentos. Abração.

Anônimo disse...

Gotei muito do artigo ! Eu creio nessa teoria.. Pois se o macaco evoluiu foi por seu comportamento, que provavelmente foi nescessário para seu bem estar... Ms gostei bastante.. Abração!

BlogBlogs.Com.Br